2.4.10

palavras ao ar


photo by me

-Sabes, vê naquele céu alguma forma familiar?
- Não
- Vês aquele sol dando algum sinal?
- Também não
- Creio que consiga ver a lua brilhando antes de dormir.
- Sim, ela eu vejo. Mas não há como compará-la com o sol, ela parece triste.
- Não disse que não vê o sol?
- Sim, o vejo quase todos os dias, ele está em cima, parado e brilhando, mas não me emite o menor sinal.
- Como não? Ele nasce e se esconde todos os dias só pra você.
As nuvens se movem, fazendo seus cabelos balançarem com o vento e a lua te produz um cenário a cada dia.
- Pois não entendo, não vejo forma, não vejo sinal, não vejo nada. É apenas um ciclo comum da natureza.
- Pois preste bem atenção da próxima vez que os "verem".
O "movimento" das nuvens, suas "cores", o brilho do sol, cores variadas após uma chuva, as fases da lua. Não percebe? Eles emitem vida, emitem equilíbrio, emitem um sentido. É por acaso que o sol se põe a mesma hora? É ao acaso que está parado a quilômetros de distância e mesmo assim brilhando intensamente? Um ciclo formidável, eu diria. Veja a lua, uma luz forte natural. O céu, um teto gigante e descomunal e o sol formando um trio definitivamente sem igual.

2 comentários:

  1. Muitas vezes não percebemos essas coisas do dia a dia. Mas elas são tão importantes e fazem tanta diferença. Se todos nós abríssemos os olhos uma única vez nee?

    ResponderExcluir
  2. Como você disse lá no comentário do meu post passado, realmente nenhum vai tomar o lugar daquele cachorro que se amou demais. Eu sou louca pelos meus, se um dia eu ficar sem nem sei o que faço.

    Que lindo o texto *-* Eu amo admirar a luz, tão bonita. xx

    ResponderExcluir

Que sua leitura tenha sido agradável! Se quiser se expressar, as portas estão abertas. Comentários respondidos nos blogs de origem.