2.10.11

temos companhia

 Entra, se senta. Serve a si mesmo um café e se convida pra jantar.O jantar demora e ela reclama, ameaça ir embora mas a piscada de olho  na entrada da porta entrega seu blefe. Retorna e se aconchega no sofá, pondo os pés em cima da mesinha e acendendo um cigarro. Digo: 'cuidado, há crianças por perto- se quiser, vá levantar chamas em outro lugar.' A mesma fica impaciente, mas não se incomoda. Liga a tv no último jogo da temporada. Vibra a cada lance de bola, como se fosse a última coisa que fará. Mas logo se irrita , diz que não tem paciência , gosta mesmo é de participar das coisas .Aviso que o jantar vai demorar um pouco mais, o gás acabou e não tenho dinheiro pra comprar. Me diz que não tem pressa e tira duas notas do bolso. " Toma - ela diz- vá comprar e volte logo."  Saindo de casa me pergunto quando ela irá embora , será que hospitalidade tem limite ou estou sendo egoísta? Lembro-me do que meu pai dizia: 'não se deve ser ao menos gentil com esse tipo de gente minha filha, você dá atenção e eles querem seu coração também'. Papai tinha razão, minha casa já está cheia e a tristeza ainda quer tomar de conta.


Existem fases da nossa vida que você deve estar preparado pra tudo. O que se quer não acontece. O que se espera não chega e o que se luta contra, toma conta da gente.


2 comentários:

  1. A minha casa esta cheia de tristeza e ta vazia com a ausencia de uma pessoa, minha mae que ta viajando, triste.

    ResponderExcluir
  2. Olá, eu sou quem escreve no blog AMORRAGIA. Andei sumido do mundo virtual, mas estou reorganizando minha vida on-line ;-).

    Facebook http://www.facebook.com/profile.php?id=100001443710707
    E-mail: pedrogabrielcontato@gmail.com

    Obrigado,
    Pedro Gabriel

    ResponderExcluir

Que sua leitura tenha sido agradável! Se quiser se expressar, as portas estão abertas. Comentários respondidos nos blogs de origem.